Slideshow

11/05/2022 17:38

Treinos com seleção adulta impulsionam atletas da base antes de torneios internacionais

De um lado a seleção brasileira de tênis de mesa, com a presença de Hugo Calderano, quarto no ranking mundial, e integrantes da equipe nacional francesa. Do outro, a garotada da seleção de base da modalidade, atenta a cada movimento, gesto e troca de alguns dos grandes nomes do esporte. O camping de treinamento, que aconteceu de 2 a 7 de maio, na Arena 2 do Parque Olímpico, no Rio de Janeiro, juntou a preparação das duas gerações em um mesmo espaço e deu um gás a mais para os mais novos enfrentarem os desafios internacionais desse mês. 

Beatriz Fiore, de 15 anos, estará ao lado de Lana Ozeki, Mahayla Sardá e Karina Shiray na seleção que disputará o Sul-americano Sub-15 e Sub-19, que começa nesta terça-feira, dia 10, em Lima, no Peru. A paulista ficou animada pela oportunidade de aprender com atletas mais experientes. 

“Só de estar no mesmo espaço em que a seleção brasileira e os franceses já parece que você treina melhor, dá uma motivação extra. É muito legal. Eu dividi quarto com a Carol Kumahara [atleta da seleção principal] e conversei com ela. Perguntei muitas coisas sobre a raquete, o material, como são os treinos”, disse Beatriz.

“Aumenta o nível de competitividade. Você vê os caras ali do lado, vibrando se dedicando, se esforçando, e dá mais motivação para treinar. Esse é o primeiro treinamento da base de que participo, e é um mundo novo para mim”, disse a gaúcha Victória Strassburger, de 16 anos, que competiu em duas edições dos Jogos da Juventude e ainda não representou a seleção em competições fora do país.

Durante o camping, Beatriz, Victoria e outros 33 novos talentos da modalidade passaram por avaliações realizadas pelo Laboratório Olímpico do Comitê Olímpico do Brasil (COB). E também puderam aprender com as perspectivas dos atletas franceses, que estavam no Rio de Janeiro para a disputa do Desafio Brasil x França. A delegação europeia contava com nomes como  Simon Gauzy, n° 23 do ranking, Can Akkuzu, n° 93, e Alexis Lebrun, n° 1 do ranking Sub-19. 

“O Alexis tem o que a gente chama de jogo torto. Ele é criativo, faz coisas novas para a bola voltar totalmente diferente para o adversário. O Jean-René [técnico do Hugo Calderano] apontou essa característica dos franceses como um diferencial: a criatividade! Toda hora eles fazem algo diferente. A bola nunca volta igual e tem que sempre estar atento. Achei bem interessante”, disse Bia. 

“Eu tive alguns momentos com o pessoal da seleção do Brasil e também conversei com os técnicos franceses, que deram dicas. Joguei um set com o Alexis”, lembrou Victoria, que contou ter ‘perdido feio’ para o dono do primeiro lugar do sub-19. 

Para os técnicos da seleção brasileira, o treinamento foi um sucesso, e a seleção de novos talentos já mostrou bons resultados. O  WTT Youth Contender, que reuniu atletas do  sub-11 ao sub-19 em Lima, no Peru, teve o brasileiro Flavio Coelho, de 11 anos, como destaque. Ele conquistou um ouro e um bronze no masculino, que terminou nesta segunda-feira, dia 9. O feminino será dos dias 17 a 19. 


© 2014 - Todos os direitos reservados  

É proibida a reprodução de matérias sem ser citada a fonte.

Redes Sociais

Crie seu novo site Go7
vers�o Normal Vers�o Normal Painel Administrativo Painel Administrativo