Slideshow 2

09/09/2021 15:02

“Projeto Olimpus é um dos mais relevantes programas financeiros para o desenvolvimento do esporte em MT”, garante secretário da Secel

Lançado em 2020 pelo Governo do Estado, via Secel-MT, além das bolsas para atletas de base e profissionais e paratletas em diversas categorias, o projeto garante ainda o auxilio para treinadores

“O Projeto Olimpus é hoje um dos mais relevantes programas financeiros para o desenvolvimento do esporte em Mato Grosso”, garante o secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Beto Dois a Um.

Lançado em 2020 pelo Governo do Estado, via Secel-MT, além das bolsas para atletas de base e profissionais e paratletas em diversas categorias, o projeto garante ainda o auxilio, por 12 meses, para treinadores: Bolsa Técnico Nacional (R$ 1.000 por mês) e Bolsa Técnico Internacional (R$ 1.500 por mês).

Projeto Olimpus atende hoje 151 atletas profissionais e de base, 40 treinadores e investe mais de R$ 3,2 milhões no incentivo às práticas esportivas em Mato Grosso.  Além de suporte para atletas e técnico, o Projeto Olimpus se estende ainda a atletas, paratletas, atletas-guias e técnicos que foram convocados para Jogos os Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio.

Para a canoísta Ana Sátila, o Projeto Olimpus é de suma importância para que atletas de Mato Grosso cheguem cada vez mais longe.

“Esse apoio do Governo de Mato Grosso é de extrema importância para os atletas. É uma ajuda que influencia, motiva, impulsiona. Já tenho mais de 15 anos de carreira e essa é a primeira vez que recebo, de verdade, um incentivo dessa natureza. Consigo, finalmente, enxergar o reconhecimento do poder público e a dedicação ao esporte. Meu desejo é que o Estado continue sensível a essa causa. Vale apena o investimento. Assim, daqui a alguns anos teremos mais e mais atletas de alto rendimento representando Mato Grosso”.

Felipe Lima da natação, Ana Sátila da canoagem, Almir Júnior do atletismo, Bruna Benitez do futebol feminino e Haline Leme Scatrut do rugby, receberam R$ 30 mil pela participação em Tóquio, graças ao Projeto Olimpus. E ainda tem a premiação dos atletas paralímpicos, como Romário Diego Marques, mato-grossense de coração, que agora ostenta a inédita medalha de ouro com a seleção masculina de goalball.

“Não tenho dúvidas que no Brasil, o Projeto Olimpus é um dos mais poderosos projetos de apoio ao atleta. O programa apóia atletas desde a base estudantil, até atletas de alto rendimento, nacional e internacional. Agora, na segunda fase do projeto, acrescentamos os técnicos nacionais e internacionais, e o prêmio de participação olímpica, o máximo na carreira de um esportista”, destaca Beto Dois a Um.  

As outras duas categorias criadas pelo Governo de Mato Grosso foram para “Atleta de Base”, que irá contemplar  aqueles atletas que obtiveram resultados positivos na etapa brasileira dos Jogos Escolares da Juventude e nos campeonatos estaduais escolares, de acordo com as regras estabelecidas no programa. Para essa modalidade, serão 110 bolsas no valor de R$ 250.

Já a categoria “Atleta Internacional Olímpico”, irá contemplar 20 bolsas para quem obtiver colocações em competições internacionais estabelecidas no programa. Nessa modalidade, o atleta irá receber o valor de R$ 1,6 mil.

“Valorizar e incentivar o esporte em Mato Grosso, esse é o objetivo. Depois da reformulação e ampliação das bolsas e categorias dos atletas atendidos pelo Projeto Olimpus, e dos pagamentos rigorosamente em dia, agora também priorizamos os treinadores, dando assim mais condições para que nossos esportistas possam alçar vôos cada vez mais altos e velozes”, acrescentou Beto Dois a Um.

Colhendo resultados

Recentemente, cinco atletas mato-grossenses, convocados pela seleção brasileira de atletismo Sub-20, disputaram o Sul-Americano, todos eles bolsistas do Projeto Olimpus. No troféu Brasil, dos 24 que participaram, 16 eram bolsistas do projeto e voltaram com medalhas.

“Quero agradecer o Governo de Mato Grosso e o governador Mauro Mendes pela grande iniciativa do prêmio atleta olímpico, que vai inspirar competidores de Mato Grosso a conseguir melhores resultados”, diz Felipe Lima, atleta da seleção brasileira de natação que representou Mato Grosso e o Brasil nas Olimpíadas de Tóquio.

“Essa boa fase do esporte em Mato Grosso só está sendo possível graças à sensibilidade do governador Mauro Mendes e da primeira-dama Virginia Mendes, que entendem como ninguém a importância do esporte como fator de transformação social”, conclui Beto Dois a Um.   


© 2014 - Todos os direitos reservados  

É proibida a reprodução de matérias sem ser citada a fonte.

Redes Sociais

Crie seu novo site Go7
vers�o Normal Vers�o Normal Painel Administrativo Painel Administrativo