Política

01/06/2020 15:39

Mendes culpa professores por estarem sem salário

(muvucapopular)

O governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), culpou os profissionais interinos da Educação por não estarem recebendo o salário. Segundo o chefe do Executivo Estadual, se eles não tivessem declarado greve no ano passado, isso não estaria acontecendo. "Naquelas escolas que fizeram greve ano passado, a aula não tinha iniciado [final do mês de março]. O governo não tinha ainda assinado o contrato com eles e veio a paralisação, oras bolas, como é que o governo vai assinar contrato se as aulas não iniciaram. […] Esse problema está acontecendo e a culpa disso foi aquela greve que não levou a nada”, disse o governador em entrevista à Rádio Mega FM, nesta segunda-feira (1).

Os servidores da rede estadual de educação não tiveram os contratos renovados devido à suspensão das aulas, como prevenção ao novo coronavírus, e estão sem receber os salários neste ano. Mato Grosso tem cerca de 10 mil servidores temporários na rede estadual de educação.

Além de culpar os servidores por não estarem recebendo, Mendes também alfinetou a classe dizendo que só poderia dar aumento aos profissionais se acontecesse um aumento nos índices de qualidade na educação, o que obviamente não depende exclusivamente dos profissionais, mas sim de uma série de medidas implementadas pelo Governo Estadual. Inclusive, salário digno aos profissionais da área.

"Eu não sou um homem de blefar, o Governo do Estado está aí, pagando salário atrasado, parcelando. Como é que vou dar aumento, ganho real? Ainda falei para eles ‘olha vocês têm o terceiro melhor salário do Brasil, nós precisamos trabalhar para melhorar a qualidade da educação’, mas eles insistiram em ir para a greve”, alfinetou Mendes.

Entretanto, o governador declarou que já estuda uma solução para os educadores interinos que estão em situação de desemprego neste momento. “Nós estamos estudando uma forma legal para talvez minimizar esse impacto para esses profissionais, são em torno de 2500 profissionais contratados, desses 17% eles dão aula no munícipio também. Então, eles não estão desempregados, agora esses que estão só no governo estamos sensíveis a isso e o Governo vai tentar encontrar uma forma de minimizar”, disse Mauro.

O plenário da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) aprovou no dia 13 de maio, o Projeto de Lei 365/2020 que estabelece o pagamento do auxílio emergencial de R$ 1,1 mil aos professores interinos. Porém, a lei ainda não foi sancionada por Mendes.      


© 2014 - Todos os direitos reservados  

É proibida a reprodução de matérias sem ser citada a fonte.

Redes Sociais

Crie seu novo site Go7
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo