Política

04/04/2022 15:24

PÓS-JANELA - Deputado segue insatisfeito no UB e defende "veto" a ex-secretário

Depois de fazer uma série de críticas e ameaças de deixar  União Brasil, o deputado estadual Dilmar Dal Bosco, líder do Governo do Estado na Assembleia Legislativa, optou por permanecer filiado ao partido, mas continua insatisfeito com algumas questões. Ele voltou a comentar sobre a postura de secretários do Estado, que antes de deixarem os cargos para viabilizarem seus nomes para a disputa eleitoral, estariam visitando as bases no interior para “cooptar” lideranças com a promessa de liberar recursos aos municípios.

Segundo o parlamentar, o assunto foi levado por ele ao governador Mauro Mendes, que teria dito não ter conhecimento de nada nesse sentido. “Falei, então verifica ai pelo Fiplan pra analisar o que foi mandado para cada município em curto espaço de tempo, principalmente agora nos fechamentos de janela partidária”.  

Dilmar também criticou a postura do ex-secretário de Esportes e Lazer, Alberto Machado, o Beto Dois a Um, que deixou o União Brasil para se filiar ao PSB, como uma estratégia de tentar ser eleito deputado estadual por outra sigla. “A única coisa que deu errado é que nós tínhamos combinado de todos permanecerem, mas houve um secretário que saiu do partido e assim estamos contemplados com vários nomes, temos 35 nomes propostos a candidaturas a deputado estadual”, comentou Dilmar sobre a saída de Beto Dois a Um, postura que ele desaprovou.

“Não falo traído, nós buscamos o diálogo, acho que ele não deveria ter saído porque não entendo que secretário do Estado, do lado do governo, braço direito do governador deveria sair do partido que o governador está filiado. Ele foi o único que saiu”, observou Dal Bosco.

A estratégia do ex-secretário em buscar outra legenda é porque ao término da janela partidária, o União Brasil ficou com quatro deputados que vão disputar a reeleição e recebeu em seus quadros o ex-secretário de saúde, Gilberto Figueiredo, além de ter o ex-governador Júlio Campos, todos na condição de pré-candidatos.  

Nos bastidores políticos as bolsas de apostas preveem que Gilberto, aliado de primeira hora do governador Mauro Mendes, e Júlio Campos, por sua trajetória na política, além do presidente da Assembleia, Eduardo Botelho, deverão figurar entre os mais votados na Assembleia. Além disso, também vão disputar a reeleição os seguintes deputados: Dilmar Dal Bosco, Sebastião Rezende e Xuxu Dal Molin, que eram do PSC e se filiaram ao União durante a janela partidária.

Apesar disso, Dal Bosco ameniza dizendo que todos os filiados possuem as mesmas chances na eleição de outubro. “Acho que todos os filiados têm plenas condições. Agora é zero a zero, quando abrir a campanha eleitoral todo mundo começa com zero voto, todo mundo tem que trabalhar pra conquistar”, comentou o parlamentar.

SEM RETORNO AO GOVERNO

Com a desfiliação do ex-secretário Beto Dois a Um,  alguns membros do União Brasil defendem que ele não seja reintegrado ao Governo do Estado caso não consiga ser eleito deputado pelo PSB. Dal Bosco garante que não participou de qualquer conversa nesse sentido, mas concorda com os correligionários pensam dessa forma.

“Não participei dessa conversa,  acho que é normal. A pessoa saiu do nosso partido, não ganhando eleição é normal ela não assumir secretaria também, mas eu não participei, esse acordo não tem. O único acordo que tinha era de todos permanecer no União Brasil. Ele deixou o partido que o governador está filiado, acho que não precisaria fazer isso, mas foi um entendimento dele, não conversei ainda com o governador, vamos ver o que agora vai ser medido”, disse Dal Bosco.


© 2014 - Todos os direitos reservados  

É proibida a reprodução de matérias sem ser citada a fonte.

Redes Sociais

Crie seu novo site Go7
vers�o Normal Vers�o Normal Painel Administrativo Painel Administrativo