Notícias

12/01/2019 13:26

Contraproposta do Fórum Agro MT prevê reedição do Fethab 2 com duração de dois anos

(olivre)

O setor produtivo de Mato Grosso irá apresentar uma contraproposta de reedição do Fundo de Transporte e Habitação, Commodities e Adicional (Fethab 2) na próxima segunda-feira (14). O novo projeto, que será encaminhado ao governador Mauro Mendes (DEM) e aos deputados estaduais, propõe que a reedição do Fundo tenha duração de 2 anos, com possibilidade de renovação, caso os recursos arrecadados sejam, de fato, utilizados para o objetivo da criação do fundo.

Como noticiado pelo LIVRE, o Projeto de Lei apresentado pela equipe econômica do governo pretende taxar o milho, a cana-de-açúcar, o gás natural e as usinas hidrelétricas. Além disso prevê o aumento da taxação sobre a soja, algodão e o boi vivo destinado ao abate e à venda para outros Estados.

O projeto também pretende tributar todas exportações de commodities anteriores, além da exportação da carne e dos miúdos comestíveis.

A contraproposta que será apresentada pelo Fórum Agro MT foi definida na manhã desta sexta-feira (11) durante a reunião das entidades que fazem parte do grupo, realizada na sede da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato). No encontro também estiveram presentes representantes dos setores de cana-de-açúcar (Sindalcool), madeira (Cipem), etanol de milho (Unem), feijão, trigo e irrigantes (Aprofir).

Uma fonte do LIVRE, que compõe o Fórum Agro MT, afirmou que caso a contraproposta seja aprovada, “serão dois anos de análise da gestão do novo governo e, caso o dinheiro seja aplicado corretamente, e haja qualidade dos investimentos, podemos continuar pagando por mais dois anos. Até acabar a gestão do atual governador”, disse.

A proposta apresentada na última terça-feira (08) pelo secretário de Fazenda, Rogério Gallo, aos representantes das entidades que fazem parte do Fórum, não foi bem aceita pelo setor. Nela,a equipe econômica do governo defendeu a unificação do Fethab e Fethab 2. A nova proposta foi entregue para a Assembleia Legislativa do Estado ontem (10).

No mesmo dia em que o governo apresentou sua proposta, representantes do setor produtivo se posicionaram contra a decisão do governo, criticando a proposta e o curto prazo para que entre em tramitação na Assembleia.

A Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa) chegou a divulgar uma nota se posicionando contra a proposta feita pelo governador. Com data desta quinta-feira (10), o presidente da entidade, Alexandre Schenkel, disse que o governador se recusou a discutir projeto com o setor. Para ele, “o novo governo quer aumentar o peso da mão do Estado sobre aquele que produz algodão, para suprir a ineficiência da administração pública”.

Fórum Agro MT

O grupo é composto pela Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado de Mato Grosso (Aprosoja), Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa), Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat), Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat).


© 2014 - Todos os direitos reservados  

É proibida a reprodução de matérias sem ser citada a fonte.

Redes Sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo