Futebol

22/01/2020 15:02

REFORÇO MATADOR - Em nota, Operário de VG diz estar "revendo" contratação de goleiro condenado por feminícidio

(folhamax)

O Clube Esportivo Operário Várzea-grandense emitiu, há pouco, uma nota em que afirma que está "revendo" a contratação do goleiro Bruno Fernandes, ex-Flamengo. Ele foi condenado a 22 anos de prisão pelo assassinato da ex-amante, Eliza Samúdio. 

O clube admitiu “reanalisar” a contratação do atleta após diversas manifestações contrárias e a perda de recursos que seriam repassados por dois patrocinadores do Campeonato Mato-grossense – Sicredi e Martinello. Além disso, o tricolor vem sofrendo com desgastes em nível  nacional.

Ontem, a imprensa de Pernambuco destacou que o Santa Cruz irá estrear na Copa do Brasil contra o time do “goleiro assassino”. “Pelo presente, viemos informar que a diretoria do Clube Esportivo Operários Várzea-grandense está revendo a possível contratação do goleiro Bruno Fernandes”, diz o comunicado do clube.

INÍCIO DA POLÊMICA 

Toda a situação se iniciou após a contratação do goleiro Bruno Fernandes no Clube Esportivo Operário Várzea-grandense (CEOV) ser dada como certa, restando apenas o aval da Justiça. No último dia 17 de janeiro, o juiz Tarciso Moreira de Souza, da Vara de Execução em Meio Aberto e Medidas Alternativas de Varginha (MG), autorizou o jogador a exercer a profissão na Cidade Industrial.

A decisão atende parecer do promotor Aloísio Rabelo de Rezende, também da cidade de Varginha. O atleta já tinha um acerto esportivo e financeiro para atuar no tricolor varzea-grandense e aguardava apenas o aval da Justiça para ser anunciado como jogador do clube.

No seu parecer, o promotor destaca as condições para que um detento possa usufruir o regime semiaberto. Uma delas é ter emprego fixo, condição que o goleiro vai obter ao se mudar para Várzea Grande.

Após a confirmação de que o goleiro poderia vir integrar o clube de VG, várias situações a favor e contra começaram a acontecer em Cuiabá e em todo o Brasil.

MANIFESTAÇÕES

A possível vinda de Bruno para o futebol de Mato Grosso dividiu opiniões, tanto das pessoas que torcem pelo clube, como de outras de cunho nacional. Algumas acreditam que se deve dar uma ‘segunda chance’ ao goleiro, já que ele teria "pagado a dívida com a Justiça". Em contrapartida, outros acham que o atleta não deve ser contratado por equipes de futebol, pois não seria exemplo para as crianças que amam o esporte e podem te-lo como ídolo.

Algumas pessoas públicas se manifestaram sobre esta situação. No último dia 10 de janeiro, a atriz Juliana Paes, da Rede Globo, levantou uma hastag em seu perfil no Instagram denominada #meuidolonaoefeminicida.

Na ocasião, a artista também convidou outras pessoas a participarem do ‘movimento’. Paes ainda citou diversas atrizes, como Débora Secco, Agatha Moreira, Sabrina Sato e entre outras.

Aqui no Estado, houve uma mobilização feita por mulheres, na noite desta treça-feira (21) onde várias se reuniram em frente ao estádio Dito Souza, em Várzea Grande, local onde o Operário estreou no Campeonato Estadual contra o Poconé.

Uma das líderes do protesto, a procuradora e presidente do Conselho de Defesa da Mulher, Gláucia Amaral, explicou que o retorno de Bruno ao futebol não representa o “instituto da ressocialização”.

Para ela, o atleta pretende recuperar a fama que tinha nos tempos em que jogava no Flamengo-RJ. “Não estamos falando de nova chance. Eu fico muito triste de ver o instituto da ressocialização, que é tão precioso para as pessoas que estão hoje nas nossas cadeias públicas ser utilizado para falar de uma pessoa que não fala de ressocialização, mas na recuperação de glamour, em ter uma vida glamorosa”, colocou.

CRIME 

Bruno Fernandes foi condenado, em 2013, pelo assassinato da modelo Eliza Samúdio, com quem teve um filho. A pena é de mais de 20 anos de prisão e, no ano passado, ele obteve a progressão de regime para o semiaberto. O assassinato ocorreu em 2010, quando o goleiro defendia o Flamengo.

No julgamento, o goleiro confessou que Elisa Samúdio, teria sido morta, esquartejada e seus restos mortais teriam sido entregues para cães. Ele ainda disse que o assassinato teria acontecido no dia 10 de junho de 2010.  

notaoperario.jpg

 Galeria de Fotos

 

© 2014 - Todos os direitos reservados  

É proibida a reprodução de matérias sem ser citada a fonte.

Redes Sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo