Esportes - Geral

23/01/2020 16:39

2ª CHANCE - Advogada de Bruno desabafa após desistência do Ope: "querem morto"

(folhamax)

O goleiro Bruno não será jogador do Operário Várzea-grandense e isso motivou um desabafo da advogada Mariana Migliorini, que tem cuidado das negociações do atleta. Uma série de torcedores protestou na sede do clube de Mato Grosso, que disputará o campeonato estadual e o Brasileirão Série D em 2020, pela contratação do goleiro, que foi condenado a 20 anos de prisão pelo assassinato de Eliza Samudio, e recebeu apoio dos empresários de Várzea Grande, além dos patrocinadores do Campeonato Mato-Grossense, que recusaram terem suas marcas estampadas no uniforme do Operário após a negociação.

Ao jornal O Tempo, de Minas Gerais, onde Bruno foi condenado, a advogada do ex-goleiro do Flamengo desabafou. “Os empresários de Várzea Grande não querem ter o nome do Bruno vinculado a eles por conta da repercussão social”, apontou Migliorini. 

“Querem ele morto. Isso não é pena, não é algo civilizatório. O Bruno já cumpriu a pena, Deus perdoa. A sociedade não.”

O Operário-MT tinha praticamente fechado um acordo com o goleiro para a disputa da temporada 2020, mas recuou após a pressão local. O clube divulgou uma nota oficial em que desistia oficialmente da contratação na última quarta-feira (22). 

“Pelo presente, viemos informar que a diretoria do Clube Esportivo Operário Várzea Grandense não contratará o atleta Bruno Fernandes das Dores de Souza.”

A advogada revelou ainda que Bruno está “profundamente triste”, sem comer e sem dormir após a negociação com o clube do Mato Grosso melar.


© 2014 - Todos os direitos reservados  

É proibida a reprodução de matérias sem ser citada a fonte.

Redes Sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo